Lágrimas.

Quando as crianças choram, choram bem alto para que todos possam ouvir. Quando um adulto chora, chora baixinho para que ninguém saiba.

Muitas vezes as palavras e atitudes magoam mais que uma dor física?

Quantas vezes  as pessoas que se amam são as  que menos se compreendem?

Porque teimam os adultos em descarregar nos outros as suas frustrações?

Porque será que pedir desculpa ou mostrar alguma compreensão se torna tão difícil?

Colocar-se no lugar dos outros e medir o alcance daquilo que se diz ou faz, seria um grande passo para evitar atitudes e gestos que magoam.

Há muita forma de se dizer a mesma coisa e, escolher as palavras e o tom em que são ditas, evitaria muita lágrima.

Calar e ouvir em silêncio não é concordar nem, tão pouco, cobardia. É uma forma de compreensão do que se passa com o outro ou uma tentativa vã de desculpar palavras irrefletidas.

Amar é compreender e desculpar, mas cuidado, pouco a pouco o amor pode sangrar e extinguir-se.

Não deixem que o amor morra, lutem para que ele cresça e nunca se acabe.

Fortunata Fialho

 

Imagem retirada da internet.Lagrimas

One thought on “Lágrimas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s