O que sentes está aí à vista no teu silêncio, desaba sobre os meus olhos; Obrigo as palavras ao degredo, não as consigo dizer. Ainda a nossa sombra a manchar as pedras da calçada, já os nossos corpos exaustos, as mãos esquecidas de nós. Vamos diluindo a pele nas pedras e o dia, quase veludo […]

via Adeus, um instante — apontamentos de babel

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s