Voam papeis.

No relógio de parede ecoam vinte e quatro badaladas.

Na cozinha, junto à lareira uma árvore de Natal.

No silêncio da noite um barulho mágico Ho Ho Ho…

Numa correria desenfreada as crianças voam ao seu encontro.

Do Pai Natal nem uma sombra, mas… surpresa!

Uma infinidade de lindos embrulhos rodeiam a árvore,

O brilho das luzes projeta estrelas nos papéis de embrulho.

 Olhos brilhantes e sorrisos de espanto iluminam os rostinhos.

Imóveis observam encantados… nada quebra o encanto.

Pegam nos embrulhos e alguém lê os nomes.

É meu. É meu. É meu…

Avidamente rasgam os embrulhos e projetam-nos pelo ar,

Abrem as caixas e não têm tempo de brincar,

Os presentes sucedem-se a um ritmo alucinante,

As suas mãozinhas estão cansadas de tanto rasgar.

Por fim silêncio… já não existem embrulhos…

Ninguém volta a chamar pelos seus nomes…

Não faz mal, agora é hora de brincar… Por qual começar?

A escolha é difícil e o sono começa a vencer.

Tantos brinquedos… os olhos brilham… sorrisos felizes…

Subitamente os brinquedos mais simples e baratos,

Tornam-se os preferidos e as brincadeiras começam.  

Afinal é Natal…

Fortunata Fialho

Imagem retirada da net.

6 thoughts on “Voam papeis.

  1. mundodeanayahanna 29 de Dezembro de 2018 / 13:28

    O melhor presente que se pode dar é um pouco do seu tempo a alguém! Aloha!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s