😜”Simplesmente… Histórias”😜História do R😜

escreversonhar

Realmente… quem se lembraria de uma coisas destas, e logo a mim que gosto de frases curtas.

Revolvo o meu vocabulário e procuro. Rio e começo a escrever. Realmente não estava à espera de um desafio deste género.

Relembro o meu tempo de infância e os trocadilhos de palavras que fazíamos. Realmente desistir não é opção.

Resolvi contar uma história, a história do R.

Redonda cabeça, pernas esguias o R avança altivo e confiante. Recorda as suas andanças e segue, placidamente, o seu caminho. Raramente falha um compromisso e ama incondicionalmente todas as letras do alfabeto.

Reza para não se encontrar com o Z pois este rezingão estraga-lhe sempre o dia. Revisita o A que tanto ama, afinal foi a primeira letra que conheceu intimamente, nenhuma outra lhe voltou a despertar tanta paixão. Realmente as mães são sempre o nosso primeiro grande amor.

Revive o seu tórrido romance com o…

View original post mais 150 palavras

👄👂Vozes…👂👄

escreversonhar

Fecho os olhos e tudo desaparece.

A escuridão envolve-me deixando lugar aos sentidos.

Pessoas sem rosto passam falando.

O som da sua voz desperta a sensibilidade.

Vozes calmas e doces fazem sentir-me tão bem.

Vozes iradas, secas e falsas… sobressaltam-me.

Vozes doces e inocentes despertam o meu sorriso.

Doce som saído da alma de uma criança

Envolto em pureza e sinceridade, conquista.

Vozes sem rosto… vozes sem máscaras…

Vozes plenas de riqueza interna.

Vozes que abraçam e beijam…

Vozes que ferem como punhais…

Vozes sem idade, vozes sem enganos.

Queria avaliar o mundo só pelo seu som.

Poder sentir a sua intenção.

Assustadoras e enganosas… fujo.

Calmas e sensíveis… sorriu e escuto.

Na voz do amor me perdi…

A voz da razão ignorei…

No riso das nossas crianças fui feliz,

No seu choro triste… chorei.

Não quero abrir meus olhos,

Tenho medo dos seus enganos.

Quero vozes que me embalem,

View original post mais 18 palavras

Sim…

escreversonhar

Sim à vida, sim ao amor, sim…

Sim ao sorriso de uma criança, sim ao brilho do seu olhar.

Sim à inocência dos seus sonhos, sim à sua doçura.

Sim ao amor que irradia o teu olhar,

Sim ao perder-me nos teus braços, sim ao teu cheiro.

Sim… fundir nossos corpos e sentir como um só.

Sim ao teu toque, sim ao orgasmo, sim ao sonho.

Sim ao nosso amor, sim à partilha, sim à vida.

Sim, quero amar-te como se hoje fosse o último dia,

Sim, amar-te como se fosse o primeiro dia de um novo amanhecer.

Sim ao ser tua para a eternidade, sim ao recomeço todos os dias.

Sim ao sorriso, sim ao êxtase, sim à redescoberta.

Sim ao sexo, sim ao carinho, sim ao teu toque.

Sim. Sim ao amor, sim a ti, sim a nós,

Sim a… para sempre.

Fortunata Fialho

Lindas, como sempre.

dscn5373-2

View original post

Inspiração

escreversonhar

Sentei-me ao computador com uma enorme vontade de escrever. Surpresa! Perdi a inspiração.

E agora? Que faço com esta vontade?

Olho em volta e nada me inspira.

Que monotonia está tudo na mesma.

Olho pela janela e o sol brilha. Há tanto tempo que andava desaparecido. Percorro o espaço exterior com os olhos.

Vejo lindas flores nos meus canteiros, todos os dias aparecem mais algumas.

O meu quintal resplandece de cor e de alegria. Os pássaros chilreiam nas árvores. Não consigo descobrir nenhum ninho, talvez ainda seja cedo.

Vistosas joaninhas passeiam-se sobre as flores comendo o piolho das plantas. Uma borboleta esvoaça em redor da minha janela. Deve de estar a exibir o seu belo colorido, e que colorido! Recuso-me a pensar que anda a depositar os seus ovos nas minhas plantas. As lagartas vão banquetear-se e eu vou ficar muito aborrecida.

No canil as cadelinhas estão estendidas a apanhar…

View original post mais 109 palavras

Quem sou?

Quem sou?

Vagueando pelas ruas procuro encontrar-me.

Em cada passo que dou uma pergunta ecoa.

-Quem sou?

Serei real ou uma projeção do desejo de meus pais?

Vulto presente ou alma perdida na imensidão do tempo?

Troveja e uma gota perdida cai no meu rosto,

Sou real… estou sentindo…

Um dilúvio cai sobre mim e eu choro.

Assim ninguém irá reparar!

Choro a saudade que habita o meu peito.

Choro os dias que ainda não vivi.

Choro, sobretudo, aqueles que perdi.

Juntas, gotas e lágrimas, seguem o seu caminho.

Na água que corre pelas ruas viaja a tristeza…

Espero que para bem longe de mim.

-Quem sou?

Sou a soma dos dias, o amontoado do tempo.

Sou as experiências vividas…

As dores das perdas acumuladas.

Sou o espelho da vida vivida.

O riso das horas felizes, a doçura do riso,

A imagem do amor partilhado.

O perfume das flores primaveris,

O amarelo dos campos no verão,

A tranquilidade dos riachos que correm,

A violência das tempestades,

A esperança nos olhos de cada criança.

Afinal que serei eu?

Realidade, sonho, esperança ou dor e sofrimento?

Serei o tempo que tarda ou aquele que passa?

Serei sombra medo ou tristeza?

No fundo eu só quero ser…

Amor… luz… esperança… paz.

Fortunata Fialho

Um regresso a casa

Voltem férias.

Acordei e procurei avidamente pelas minhas férias,

Não encontrei… Malditas, abandonaram-me!

Será que se sentiram mal aproveitadas?

Será que se sentiram negligenciadas?

Este sentimento de perda e abandono é coisa séria.

Durante a noite ouvi vozes alteradas:

– Tens de partir, o teu tempo terminou.

– Não quero, não a posso abandonar.

Será que o trabalho ameaçou as minhas férias?

Será que aquelas cobardes se deixaram vencer?

Porque me abandonaram?

Se tivessem ficado o trabalho não entraria…

As manhãs de preguiça continuariam a ser só nossas.

Os serões longos e despreocupados eram tão doces…

Quero-as de volta, não quero viver sem elas!

Férias ingratas, medrosas, insensíveis…

Espreitei pelas janelas, corri para a rua,

Gritei por elas e já não as encontrei!

Com elas levaram o meu tempo livre,

Nem vestígios deixaram…

Vai trabalho implacável… deixa as minhas férias voltarem.

Tem pena de mim… não me deixes sofrer!

Férias ingrata voltem… sinto-me tão infeliz…

Fortunata Fialho

Sol. “Sentidos ao Vento (Momentos)”

Sol

Raios de luz, plenos de alegria.

Tempo risonho, alegria nos corações.

Campos floridos.

Quadros naturais que o sol pinta de cores de

Sonho.

O sol brilha, cantam os pássaros,

Coaxam as rãs, brincam os animais…

Ai quem me dera deitar-me na erva,

Sonhar acordada,

Ler um bom livro,

Caminhar sem rumo,

Absorver os aromas e banhar-me de luz.

Sol, fonte de vida,

Luz dos meus olhos,

Renovador de corações,

Criador de romances,

Fonte de amores.Sol … campo … praia … férias.

Fortunata Fialho

Querida mamã.

Porque vai ser o inicio de um novo ano escolar…

escreversonhar

Querida Mamã.

Mamã desculpa de ter chorado tanto quando me deixas-te. Eu estava com tanto medo e tentei tanto que tu me levasses para casa novamente. Sabes? Tu não irias ficar para me proteger e era tudo tão grande e novo, eram só caras que eu nunca tinha visto e a escola era muito mais grande que a nossa casa.

Quando tu te foste embora, uma senhora simpática pegou-me pelos ombros e sorriu. O seu sorriso era tão bonito! Ao meu ouvido disse para eu não ter medo que ela ia cuidar bem de mim e deu-me um abraço muito apertado. Sabes mãe, ela foi muito boazinha para mim e é a minha professora.

Muitos outros meninos e meninas estavam tão assustados como eu e ela consolou-os a todos. Eu também ajudei um pouco com o meu sorriso. Foi isso que a professora me disse.

Sabes a minha mochila é…

View original post mais 153 palavras