Amor… “Poesia Colorida”

Amor…

Amor é vida, luz, sombra, entrega, êxtase…

Amor é compreensão, ternura… aceitação.

Amor é entrega, respeito e carinho.

Amor é paixão, fogo… ternura.

Eu amo, amo sem restrições, amo sem limites.

Amo adormecer e acordar a teu lado,

Amo o brilho dos teus olhos, cada curva do teu corpo,

Cada imperfeição da tua pele, cada ruga do teu rosto.

Amo o sorriso dos nossos filhos,

Vê-los crescer plenos e íntegros.

Amor… é estar contigo, sentir o teu calor, ouvir a tua voz.

Amor é o brilho de felicidade nos olhos de uma criança,

A felicidade dos nossos filhos quando nos acompanham.

Amor é lutar por um futuro melhor.

Amor é rever-nos no brilho do seu olhar.

Amor é amar para libertar.

Amar é derrubar barreiras só para estarmos juntos.

Amor é dormir nos teus braços e acordar ao teu lado.

Amor é ir dormir amuados e acordarmos abraçados.

Amor é aceitar os defeitos,

Amor é apoiar e acarinhar, Amar é… viver.

Fortunata Fialho

Uma sátira em “Simplesmente…Histórias”

escreversonhar

Querida, depois de tantos anos na escola a aprender
a falar bem e a comportar-me, aconteceu apaixonar-me por ti. Parece impossível
que o comum dos mortais tenha tal paixão e, logo eu, fui perder-me assim que os
meus olhos em ti tropeçaram.

Quando, durante aquele passeio pelo campo te
encontrei, o mundo parou, que criatura linda! Que coisinha fofa! Que deleite
para meus olhos! O mundo parou, o meu coração disparou e o peito quase
rebentou. No meio de tantas irmãs a tua alvura sobressaía, o teu pelo brilhava
tal prata brilhando sob a luz do sol. Que beleza tamanha e eu, petrificado e
estupidificado, contemplava-te enquanto te entretinhas na tua refeição matinal.

Naquele mesmo instante desejei que fosses minha,
levar-te para casa e acariciar-te até as minhas mãos doerem. Perder-me no meio
da tua lã, descansar a minha cabeça nessa doce almofada de que nunca te
separas, descansar o…

View original post mais 152 palavras

Porque hoje é dia do abraço…

escreversonhar

Quero um abraço.

Quero um abraço quente e apertado.

Um abraço consolo, um abraço amizade,

Um abraço paixão, um abraço amor.

Quero todo o sentimento num abraço de paz,

Num abraço de respeito… aceitação.

Quero um abraço sem cor, um abraço sem credo,

Um abraço partilha de puro amor.

Quero um abraço que cure, um abraço que dure.

Quero a eternidade num abraço,

No teu abraço… no meu abraço…

Que em todos os lugares se ofereçam abraços,

Se partilhem e passem de corpo em corpo,

Que essa partilha só termine no fim dos tempos.

Um abraço é um bem inestimável,

Saber abraçar é uma arte.

Quem abraça é o maior artista…

Que planta bondade em todos os corações,

Carinho em todos os olhares,

Amor em todo o ser vivo.

Quero o meu abraço especial… precioso,

Aceita o meu abraço… guarda-o no teu coração.

Fortunata Fialho

View original post

Vamos ficar bem

Vamos ficar bem.

Quando uma lágrima corre pelo nosso rosto e o mundo parece ruir,

Pensa que o tempo tudo cura e que tudo vai ficar bem.

Quando os dias forem cinzentos e tristes acredita,

Amanhã o sol vai brilhar intensamente e tudo vai ficar bem.

Se a chuva cai sem sessar e os riachos se tornam rios,

Pensa nos benefícios das cheias e tudo vai ficar bem.

Haverá menos fome, menos sede e os campos ficarão mais verdes.

Se o sol é inclemente e seca o teu jardim,

Humedece a terra, as plantas agradecem e tudo vai ficar bem.

Se o mundo, subitamente, roda ao contrário, não te preocupes

Vais acordar e… era um pesadelo. Afinal está tudo bem.

O mundo não gira ao contrário mas parece ruir.

Pelos países passeia-se um vulto negro e arrepiante.

Por onde passa destila desgraça e morte.

Quando a sua escuridão demora a passar e tu desesperas,

Pensa que a lentidão não é imobilidade, ela avança.

Enquanto avança o dia clareia e o sol brilha,

A saúde e felicidade voltarão e… afinal tudo vai ficar bem.

No murmúrio dos ventos, no som do mar,

Nos trinados das aves, no perfume das flores,

Ecoa uma subtil mensagem:

Acreditem no final todos vamos ficar bem.

Fortunata Fialho

Diziam…

escreversonhar

Outrora os velhos diziam, “ Mulher séria não abandona a família

Outrora as mulheres diziam, “Quem manda é ele”

Outrora o povo dizia, “Entre marido e mulher ninguém meta
a colher”

E as pessoas não falavam do suplício em que viviam.

Tinham vergonha e assumiam tudo como sendo o destino.

E o destino manipulava, manietava e maltratava.

O futuro não existia, o presente era imutável.

E uma mulher disse, “Vou quebrar as amarras”

E muitas mulheres a seguiram lutando.

O povo criticou, hostilizou e disse, “ Desenvergonhadas”

Elas fingiram não ouvir e continuaram.

Os homens assustaram-se e tentaram pará-las.

Então um disse, “ Ganharam o meu respeito”

E a ele outros se juntaram e novamente coabitaram.

E o povo disse, “Os tempos estão mudados” e tiveram medo.

Mulheres e homens, num tempo de mudança, evoluíram.

As crianças cresceram e aprenderam o respeito mútuo.

Nas casas predomina harmonia e respeito.

View original post mais 62 palavras

Quando a vida nos leva mais alguém que amamos, a saudade aumenta…😢😢😢😢 Adeus tia.

Saudades

A distância outrora tão pouca tornou-se tão longa,

Os afetos rareiam, ficam na vontade de quem não pode.

As estradas, do vou ali e já volto, tornaram-se tão longas,

Meia dúzia de quilómetros tornam-se centenas.

Nos olhos brilhantes de felicidade mora a saudade.

Saudade daqueles que amam e que estão tão perto,

E dos que, longe se encontram, as distâncias se igualam.

Saudades de passear ao Sol, de percorrer as estradas,

De trocar conversas com a vizinhança,

Da proximidade de um aperto de mão ou de um beijo na face,

De um abraço reconfortante e de pousar a cabeça num ombro.

Sou portuguesa e sei o que é a saudade.

Sinto-a no fado, no toque de uma guitarra, num cante alentejano…

Mas saudade como esta… não estava preparada.

Saudades de ir às compras… eu que nem gosto de o fazer.

Saudades de uma boa refeição fora de casa,

De um espetáculo em boa companhia.

Saudades dos tempos de ontem que parecem tão distantes.

Fortunata Fialho

Imagem retirada da internet

Insignificantes?

Insignificantes?

Somos um pequeno ponto no meio de um universo infinito.

Um lampejo de luz no escuro do vácuo sideral.

Somos seres insignificantes num processo de construção.

Somos o ponto que descreve o próprio universo,

Que se empenha na descoberta do infinito,

Mesmo sabendo que nunca o pode alcançar.

Somos o insignificante ponto que ao cair quebra a linha,

Que ao faltar desmorona a construção mais elaborada.

Somos insignificantemente importantes.

Conquistámos a lua, espreitámos de perto outros planetas,

Na nossa insignificância descobrimos curas.

No entanto destruídos civilizações mas, contruímos outras.

Lutamos diariamente contra inimigos invisíveis e… vencemos.

Fizemos avançar a medicina, salvamos vidas…

Ignoramos o medo, ou melhor, assumimos o medo

Mas lutamos com toda a coragem contra inimigos letais.

Amamos… criamos… mas também matamos.

Somos insignificantes mas fazemos toda a diferença.

Que ninguém nos ignore pela nossa insignificância

Não há limites para o que podemos fazer.

E ainda há quem duvide do poder da nossa insignificância!

Fortunata Fialho

Escrevo. " Quero um poema…"

Escrevo

Escrevo e as palavras parecem teimar em tardar.

Dedilho as teclas e tento encontrar um rumo.

Pelo meu rosto rola uma lágrima de tristeza e dor.

Os pensamentos vagueiam num tempo que já não volta.

Perdida na falta dos afetos que me foram roubados,

Dos colos que me reconfortaram, das mãos que me limpavam as lágrimas.

Como desejo que aqueles que amei e me amaram fossem eternos.

Preciso deles e não os posso abraçar, chamo-os e não podem vir.

Escrevo como quem procura consolo, consolo nas palavras que confortam.

Imprimo e nas linhas que surgem na folha, que absorve as lágrimas, lê-se dor.

Tenho tanta saudade… dói tanto… tanto…

Na folha corre um minúsculo regato, uma lágrima que desliza,

A luz do candeeiro fá-la brilhar com uma estrela.

Que brilho intenso, cintilante!

Em meus lábios surge um sorriso e nos olhos um laivo de alegria.

Como por milagre, a tristeza ameniza-se e a felicidade espreita.

Escrevo e agora já sorriu, as palavras contam boas recordações,

Revelam memórias felizes… lembram tempos de amor.

Agora escrevo saudade envolta em felicidade.

Fortunata Fialho