Uma sátira em “Simplesmente…Histórias”

escreversonhar

Querida, depois de tantos anos na escola a aprender
a falar bem e a comportar-me, aconteceu apaixonar-me por ti. Parece impossível
que o comum dos mortais tenha tal paixão e, logo eu, fui perder-me assim que os
meus olhos em ti tropeçaram.

Quando, durante aquele passeio pelo campo te
encontrei, o mundo parou, que criatura linda! Que coisinha fofa! Que deleite
para meus olhos! O mundo parou, o meu coração disparou e o peito quase
rebentou. No meio de tantas irmãs a tua alvura sobressaía, o teu pelo brilhava
tal prata brilhando sob a luz do sol. Que beleza tamanha e eu, petrificado e
estupidificado, contemplava-te enquanto te entretinhas na tua refeição matinal.

Naquele mesmo instante desejei que fosses minha,
levar-te para casa e acariciar-te até as minhas mãos doerem. Perder-me no meio
da tua lã, descansar a minha cabeça nessa doce almofada de que nunca te
separas, descansar o…

View original post mais 152 palavras

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s