Tinta.

escreversonhar

Contente um fio de tinta corre,

Pelo caminho o seu rasto conta histórias.

Já percorreu tantos caminhos,

Escreveu tantas cartas de amantes,

Guardou segredos e desejos inconfessáveis.

Marcou encontros, desencontros e até viagens.

Escreveu histórias, romances, tragédias…

Fez as delícias das crianças com os seus contos de fadas.

Pintou reinos encantados e coloriu sorrisos nos rostos.

Borrou, muitas vezes, a escrita mas continuou.

Aproveitou cada borrão e criou arte.

Preencheu telas de pintores e cadernos de crianças.

Pintou morais e foi voz da revolta.

Protestou em imagens transformando-as em palavras.

Cansado desenhou planícies,

Agitado desenhou montanhas,

Transpirado criou rios,

Chorando preencheu oceanos.

Tranquilo passeou por livros, cadernos…

E até por guardanapos em bares.

A tinta deixou de se ver.

Quase invisível escreveu suspiros.

Numa folha em branco morreu…

Outras tintas dele renasceram e…

As suas viagens continuaram.

Firmes, criativas, sonhadoras…

Tudo em seu redor pintaram.

Fortunata Fialho

hqdefault Imagem retirada de:…

View original post mais 11 palavras

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s