O valor da tolerância nos relacionamentos!

Quando eu ainda era menino, ocasionalmente, a minha mãe gostava de fazer um lanche, tipo café da manhã, na hora do jantar. E eu lembro-me especialmente de uma noite, quando ela fez um lanche desses, depois de um dia de trabalho muito duro. Naquela noite, a minha mãe pôs um prato de ovos, linguiça e torradas bastante queimadas, na frente do meu pai.
Eu lembro-me de ter esperado um pouco, para ver se alguém notava o facto. Tudo o que meu pai fez foi pegar na sua torrada, sorrir para a minha mãe e perguntar-me como tinha sido o meu dia na escola. Eu não me lembro do que respondi, mas lembro-me de ter olhado para ele lambuzando a torrada com manteiga e geleia e engolindo cada bocado.
Quando eu deixei a mesa naquela noite, ouvi a minha mãe se desculpando por ter queimado a torrada. E…

View original post mais 325 palavras

Juntas Políticas Fraudulentas

O Meu Quintal

Eu percebo a necessidade extrema em arranjar nesta altura notícias para amesquinhar os professores, na velha escola comunicacional do ME, mas a verdade é que há pessoas a serem enviadas para as escolas sem quaisquer condições para assegurarem o seu horário e não por questões de “fraude”. Os casos estão bem à vista, todos os conhecemos, assim como Juntas Médias que funcionam de um modo burocrático, completamente desumanizado e sem qualquer atenção às condições concretas das pessoas. Todos conhecemos pessoas perfeitamente incapacitadas (do ponto de vista físico em psicológico) para dar aulas que uns shôres doutores da mula ruça se acham no direito (ou na obrigação imposta por quem os manda) de enviar para as escolas com prejuízo de todos, a começar pelos alunos.

Mais de metade dos trabalhadores do setor da educação que estavam de baixa por doença tiveram de regressar ao trabalho depois de passar por uma junta…

View original post mais 143 palavras

Dizem que Gandhi orava assim!

“Senhor…

Ajuda-me a dizer a verdade diante dos fortes e a não dizer mentiras para ganhar o aplauso dos fracos.

Se me deres fortuna, não me tires a razão.
Se me deres o sucesso, não me tires a humildade.
Se me deres humildade, não me tires a dignidade.

Ajuda-me a ver o outro lado da moeda.
Não me deixes acusar o outro, por traição aos demais, apenas por não pensar igual a mim.

Ensina-me a amar aos outros como a mim mesmo.

Não deixes que me torne orgulhoso se triunfo, nem cair em desespero se fracasso.

Mas recorda-me que o fracasso, é a experiência que precede ao triunfo.

Ensina-me que perdoar é um sinal de grandeza e que a vingança é um sinal de baixeza.

Se não me deres o êxito, dá-me forças para aprender com o fracasso.

Se eu ofender as pessoas, dá-me a coragem para desculpar-me, e se…

View original post mais 28 palavras

Censura… — Entre Pontos e Vírgulas, Poesia!

Censura… Censura e bloqueia A quem tem outra ideia Nudez não é pecado Pecado é não ter amado… Enraivecem-me esses padrões enviesados, Em privado tudo é permitido Até o rapto violado, bem combinado A fuga, as “nudes” que escapam por ai Em privado, tanto, tanto sexo… Nas paginas tudo e santo… Um mamilo, ai meu deus […]

via Censura… — Entre Pontos e Vírgulas, Poesia!

Os professores também se abatem! — Aventar

Hoje, pela primeira vez, dir-lhe-ei algo que nunca ouviu: é elementar, meu caro Watson! Estes cadáveres que caminham são professores portugueses, digo-lho eu! Se caminham, não são cadáveres? Watson, Watson, há mais mundos, é preciso ver mais longe. Estes seres vagamente humanos e aparentemente vivos não só estão mortos como foram assassinados! É certo…

via Os professores também se abatem! — Aventar

Uma gentileza de: tocaafalardisso.blogspot.com. A entrevista para divulgação de Conexões Atlânticas Portugal-Brasil

DEZ PERGUNTAS A… FORTUNATA FIALHO

Agradecemos à autora FORTUNATA FIALHO a disponibilidade em responder ao nosso questionário

1 – Como se define enquanto autora e pessoa?

Como pessoa considero que sou simples, curiosa por conhecimento, amiga da minha família e dos meus amigos. Adoro ler, o meu esposo diz que nem que eu viva muitos mais anos vou conseguir ler tudo o que vou comprando.

Como romântica que sou, gosto de escrever o que me vai na alma. A escrita dá-me a possibilidade de viver diversas vidas, ter a idade que quiser e viajar a lugares inalcançáveis. Na escrita eu sou mais eu sem tabus ou condicionamentos.

Quando preciso de um psicólogo, o que na minha profissão é frequente pois sou professora, escrevo tudo o que me incomoda e, assim consigo encontrar novamente o meu equilíbrio emocional.

2 – O que a inspira?

O que me inspira é algo que não consigo definir pois escrevo se estou triste mas também escrevo se estou alegre, escrevo para descrever algo que me deixou encantada mas também escrevo sobre algo que me revolta. Dizendo de uma forma sucinta, escrevo por tudo e por nada, escrevo porque escrever me deixa feliz.

3 – Existem tabus na sua escrita? Porquê?

Sim, lamentavelmente existem, como fui educada a não dizer palavrões escrevê-los também se torna muito difícil. Estou a testar-me com a escrita de um texto erótico e muitas vezes tenho de parar e pensar muito bem para que não se torne pornográfico, detestaria que o resultado fosse esse. Enfim, é uma questão de educação e não uma crítica negativa a quem o faz.

Talvez com o tempo esse tabu deixe de existir e depois logo se vê…

4 – Que importância dá às antologias e colectâneas?

Gosto de participar pois faz com que eu me continue a desafiar e ao mesmo tempo dá-me a possibilidade de conhecer mais pessoas que como eu gostam de escrever.

5 – Que impacto têm as redes sociais no seu percurso?

Sirvo-me das redes sociais para dar a conhecer o meu trabalho e procuro ter contacto com outros que como eu gostam de escrever e/ou ler. Através delas tenho tido a oportunidade de conhecer pessoas com uma criatividade enorme e todos os dias encontro algumas surpresas agradáveis. Tenho o meu blog (escreversonhar.wordpress.com) ligado às minhas redes assim consigo mostrar o meu trabalho a um leque superior de pessoas.

6 – Quais os pontos positivos e negativos do universo da escrita?

Pontos positivos? Todos. Quem não lê tem uma visão muito restrita do mundo que nos rodeia e, muitas das vezes, é fácil de influenciar, além disso a escrita também nos proporciona sonhos e fantasias.

Pontos negativos? A dificuldade em um escritor desconhecido publicar o seu trabalho. Infelizmente se não tiver dinheiro isso torna-se quase impossível.

7 – O que acredita ser essencial na divulgação de um autor?

Tenho muita dificuldade em responder, eu tento divulgar o meu trabalho nas minhas redes sociais e participar em alguns projetos juntamente com outros escritores como eu.

8 – Quais os projectos para o futuro?

Continuar a escrever e, quem sabe, voltar a publicar. Tenho alguns projetos em desenvolvimento tanto na prosa como na poesia.

9 – Sugira um autor e um livro!

Ui, que difícil! Saramago em O Evangelho Segundo Jesus Cristo. José Rodrigues dos Santos em O Anjo branco…

10 – Qual a pergunta que gostaria que lhe fizessem? E como responderia?

Conseguia viver sem sonhar? Responderia que não, seria um pouco como morrer.

Acompanhem, curtam e divulguem esta e outros autores através deste link

Publicada por Manu à(s) 10:00

Pour la première fois, des astronomes ont réussi à identifier la source de neutrinos à haute énergie — Blog Archipel des Sciences

Esta é uma grande descoberta para o mundo da astronomia. Em 12 de julho, duas publicações apareceram na revista Science, revelando uma descoberta que certamente perturbará o trabalho dos astrofísicos. Um fenômeno conhecido há mais de cem anos, mas ainda pouco compreendido, tem sido visto em nosso universo de maneira inédita: o […]

via Pela primeira vez, os astrônomos conseguiram identificar a fonte de neutrinos de alta energia – Archipelago of Science Blog