Amor incondicional.

Amor incondicional

Nem todos os choros são de tristeza,

Nem todas as lágrimas são de dor.

Quando um recém-nascido chora pela primeira vez

O coração de uma mãe chora de alegria.

Ser mãe é uma dádiva da natureza,

Uma dádiva de um imenso amor.

Há muitos amores na vida.

Uns vêm e invadem o nosso coração,

Outros, lamentavelmente, acabam por partir.

Existe um amor incondicional… verdadeiro.

Um amor que por mais que seja posto á prova vence.

Por um filho uma mãe até dará a própria vida.

Por um filho uma mãe irradia felicidade…

Ou chora de dor quando ele sofre.

Um filho é uma parte de nós que por mais que tente…

Nunca se poderá separar.

Existe uma ligação invisível mas mais forte que tudo que os une.

Este sim é um amor incondicional que…

 Nem a distância nem o tempo podem apagar.

Fortunata Fialho

Lembro.

escreversonhar

Lembro

Lembro o tempo em que nos banhávamos juntos,

Em que os nossos corpos se incendiavam rebeldes,

Nos amávamos fisicamente sem tabus.

Lembro todos os suores lavados das nossas peles,

De todos os orgasmos partilhados,

Das palavras abafadas pelo som da água corrente.

Fecho os olhos e consigo ver o teu corpo desnudo,

Sinto o suave acariciar das tuas mãos,

O doce calor dos teus lábios percorrendo o meu corpo.

Lembro as entregas totais aos nossos sentidos,

As frases banais cheias de sentido,

As promessas eternas que se esqueceram com o tempo,

Os olhares incendiados, esfomeados… sensuais.

Lembro a sensualidade do teu corpo,

O inebriante cheiro da tua pele,

A intensidade o teu desejo no meu desejo.

Lembro as noites tórridas e os dias apaixonados.

Lembro quando nos deitávamos amuados

E acordávamos abraçados.

Lembro os beijos doces, as carícias marotas,

Os corpos em desejo, a entrega total,

A explosão final…

View original post mais 7 palavras

Uma sátira em “Simplesmente…Histórias”

escreversonhar

Querida, depois de tantos anos na escola a aprender
a falar bem e a comportar-me, aconteceu apaixonar-me por ti. Parece impossível
que o comum dos mortais tenha tal paixão e, logo eu, fui perder-me assim que os
meus olhos em ti tropeçaram.

Quando, durante aquele passeio pelo campo te
encontrei, o mundo parou, que criatura linda! Que coisinha fofa! Que deleite
para meus olhos! O mundo parou, o meu coração disparou e o peito quase
rebentou. No meio de tantas irmãs a tua alvura sobressaía, o teu pelo brilhava
tal prata brilhando sob a luz do sol. Que beleza tamanha e eu, petrificado e
estupidificado, contemplava-te enquanto te entretinhas na tua refeição matinal.

Naquele mesmo instante desejei que fosses minha,
levar-te para casa e acariciar-te até as minhas mãos doerem. Perder-me no meio
da tua lã, descansar a minha cabeça nessa doce almofada de que nunca te
separas, descansar o…

View original post mais 152 palavras

Porque hoje é dia do abraço…

escreversonhar

Quero um abraço.

Quero um abraço quente e apertado.

Um abraço consolo, um abraço amizade,

Um abraço paixão, um abraço amor.

Quero todo o sentimento num abraço de paz,

Num abraço de respeito… aceitação.

Quero um abraço sem cor, um abraço sem credo,

Um abraço partilha de puro amor.

Quero um abraço que cure, um abraço que dure.

Quero a eternidade num abraço,

No teu abraço… no meu abraço…

Que em todos os lugares se ofereçam abraços,

Se partilhem e passem de corpo em corpo,

Que essa partilha só termine no fim dos tempos.

Um abraço é um bem inestimável,

Saber abraçar é uma arte.

Quem abraça é o maior artista…

Que planta bondade em todos os corações,

Carinho em todos os olhares,

Amor em todo o ser vivo.

Quero o meu abraço especial… precioso,

Aceita o meu abraço… guarda-o no teu coração.

Fortunata Fialho

View original post

Simplesmente mais uma de “Simplesmente… Histórias”

escreversonhar

O
sol brilha, uma deliciosa brisa percorre os campos. Saio e procuro descontrair.

Deitada na
relva observo o voo dos pássaros. Que bom seria voar!

Graciosamente
interpretam um inebriante bailado … que doce encanto para os meus sentidos.

Contemplando
tal beleza adormeço … ou não … talvez esteja acordada e não saiba.

Envolta em
raios solares sonho … sonho que voo e as minhas asas cortam o vento.

O calor
reconfortante dos raios solares, acariciam a minha pele e … danço.

Participo
no inebriante bailado e deixo-me levar ao sabor do vento.

Hum … que
delicia. Que plenitude de sensações, que doce encantamento.

Entre
chilreios as minhas asas movem-se, sou a estrela entre as estrelas.

Uma nuvem
cobre o sol … desce sobre mim. Engraçado … que bela nuvem!

A sua
presença acaricia, acalma e reconforta. Nela tudo é brilho e luz.

No meu
corpo, seminu, sinto uma onda de…

View original post mais 118 palavras

Carta ao Diabo.

escreversonhar

Caro Diabo. Depois de tentar comunicar contigo e de nunca receber resposta, ouvi dizer que as novas tecnologias te cativam. Acreditei, claro, pois tomei conhecimento de todos os teus seguidores e do mal que andam a fazer sem que se tenham de identificar.

Venho, esperançado de que leias e respondas como manda a boa educação, se é que ainda tens alguma, claro.

Peço que deixes a humanidade em paz, já lhes criaste problemas que cheguem. Tens feito um trabalho, de grande qualidade reconheço, em infernizar os desgraçados. Tiras-lhes o pão da boca, o dinheiro do bolso, a saúde e, como se não bastasse ainda os assustas de morte com terroristas, assassinos, violadores e outros que tal, que ensinaste na perfeição.

Não te resta um pouquinho de humanidade? O tempo comigo não te deixou nem um pouco de compaixão?

O pior disto tudo é que eu não tenho mãos a medir…

View original post mais 153 palavras

Coisas de criança

escreversonhar

Durante a minha infância, na minha aldeia, morei numa casa em que três portas se alinhavam.

Porta do quintal, que dava para a cozinha, porta da cozinha para a sala de jantar e a porta da rua.

A iluminação era feita através de candeeiros a petróleo os quais tornavam o ambiente um pouco irreal e propicio a divagações na minha cabecinha de criança.

Durante o serão reuníamo-nos na cozinha e não havia o hábito de se fecharem as portas, hábito que ainda mantenho atualmente.

Os meus brinquedos estavam arrumados na parte inferior da mesa da cozinha, nada se podia estragar. Ali estavam seguros e longe das mãos que as podiam estragar. Sim porque eu estimava muito todos os meus brinquedos.

Como todas as crianças adorava brincar imitando os adultos.

O serão passava e as brincadeiras continuavam.

Passeava por toda a cozinha mas, tinha um grande problema, quando cruzava a porta…

View original post mais 82 palavras

🎀 Sonho lindo. 🎀

escreversonhar

Tive um sonho lindo!

Tinha asas e voava sem parar.

Percorria o planeta procurando armas.

Nos quartéis penduravam-se flores,

Os campos de batalha eram prados coloridos.

Soldados marchavam ao som de sinfonias.

Disparavam-se pétalas que perfumavam os corpos.

O chão cobria-se de corpos…

Que, de olhar sonhador, observavam as nuvens.

De punho erguido prometiam-se sonhos.

Vozes fortes falavam de amor.

Ameaças de carinho ecoavam os ares.

Todas as religiões partilhavam o mesmo templo,

Em vez de ódio pregavam amor.

E os animais?

Ai, aos animais disparavam carícias.

O riso das crianças ecoavam no ar,

Levando sorrisos a todos os rostos.

Não encontrei armas… procurei lágrimas…

Em todos os rostos brilhava a felicidade.

Finalmente encontrei lágrimas…

Envoltas em sorrisos… enfeitadas de gargalhadas,

Brilhavam como estrelas num céu de verão.

Cansada pousei e… adormeci.

Que sonho tão lindo esta noite vivi!

Fortunata Fialho

sonhar Desconheço o autor.

View original post

Hoje abandonei a sala de aula

Eu, professora, já senti muitas vezes a vontade de abandonar a sala de aula. Alguém que nos ouça e mude de uma vez por todas as regras, viciadas, deste jogo em que se tornou a Educação.

anapaulacosta

como-o-desenho-da-sala-de-aula-afeta-a-aprendizagemHoje abandonei a sala de aula pela primeira vez em dezasseis anos de profissão. Hoje eu abandonei a sala de aula onde estava há cerca de dez minutos com a minha direcção de turma, alunos do décimo segundo ano.
Pensei muito antes de escrever este texto. Pensei nas palavras que ia usar, no que descrever mas, uma sensação se sobrepõe inevitavelmente a todas as outras… A de quase impotência, a de frustração e a necessidade de desabafar.
Não, não há vítimas numa sala de aula, nem alunos, nem professores (salvo, lá está, naqueles tristes casos em que alguém é vítima de agressão). Não, não sou vítima mas, abandonei a sala. Abandonei a sala por raiva, por frustração, porque a ingratidão dói, por sentir o meu corpo todo a tremer e ter uma sensação de quase desmaio, por sentir uma lágrima a começar a rolar pela minha face… e… Raios me…

View original post mais 542 palavras