Gafanhoto _ “Sentidos ao Ventos (Momentos)”

Gafanhoto

Ontem, no meu quintal

Fixei-me num gafanhoto.

Estava empoleirado numa folha,

Quando eu olhava, ele rodava.

Eu mexia a cabeça para a direita,

Ele rodava para a esquerda.

Virava a cabeça para a esquerda,

Rodava para a direita.

Na sua ingenuidade de inseto

Pensava estar invisível ao meu olhar.

Continuamos no jogo das escondidas.

Eu sorria e estava encantada,

Ele, pelo contrário, devia estar saturado.

Fartou-se e saltou,

Eu saltei também.

Não é que o bicho saltou direito a mim!

Pregou-me um pequeno susto

E desapareceu do meu horizonte. 

Fortunata Fialho

Sol. “Sentidos ao Vento (Momentos)”

Sol

Raios de luz, plenos de alegria.

Tempo risonho, alegria nos corações.

Campos floridos.

Quadros naturais que o sol pinta de cores de

Sonho.

O sol brilha, cantam os pássaros,

Coaxam as rãs, brincam os animais…

Ai quem me dera deitar-me na erva,

Sonhar acordada,

Ler um bom livro,

Caminhar sem rumo,

Absorver os aromas e banhar-me de luz.

Sol, fonte de vida,

Luz dos meus olhos,

Renovador de corações,

Criador de romances,

Fonte de amores.Sol … campo … praia … férias.

Fortunata Fialho

Aula. “Sentidos ao Vento (Momentos)”

Aula

Espaço de aprendizagem.

Assim me ensinaram quando fui aluna.

Em casa educa-se, na escola aprende-se.

Hoje:

Escola é um espaço de convívio,

A forma de socializar,

Estar com os amigos e conversar.

Então quando e onde se aprende?

Como saber Matemática, Português, Inglês,…

Comodescobrir vocações?

Como vir a ser um bom profissional?

Sem conhecimentos?

Como teremos confiança em quem nos trata,

Nos ensina, nos constrói as infraestruturas?

Como será a nossa sociedade futura?

Quero que os meus alunos aprendam,

Sejam os melhores profissionais possível,

Sejam os génios de amanhã.

Pais ajudem-nos!

Estes são os vossos Filhos,

Os Homens de amanhã.

Fortunata Fialho

Gafanhoto, em “Sentidos ao vento (Momentos)”

Gafanhoto

Ontem, no meu quintal

Fixei-me num gafanhoto.

Estava empoleirado numa folha,

Quando eu olhava, ele rodava.

Eu mexia a cabeça para a direita,

Ele rodava para a esquerda.

Virava a cabeça para a esquerda,

Rodava para a direita.

Na sua ingenuidade de inseto

Pensava estar invisível ao meu olhar.

Continuamos no jogo das escondidas.

Eu sorria e estava encantada,

Ele, pelo contrário, devia estar saturado.

Fartou-se e saltou,

Eu saltei também.

Não é que o bicho saltou direito a mim!

Pregou-me um pequeno susto

E desapareceu do meu horizonte. 

Fortunata Fialho

Escuridão.

escreversonhar

A escuridão, nada tem de assustador.

Assustador é viver na escuridão,

Não ver o que nos envolve,

Desconhecer o que nos rodeia,

Não ter noção do que se passa.

Escuridão assustadora, é aquela de que não podemos fugir,

Que nos faz correr, sem nunca chegar ao fim.

Escuridão é desconhecer se teremos futuro.

Escuridão é não saber se os nossos filhos,

Poderão construir vidas próprias, serem independentes,

Terem filhos com futuros luminosos.

Escuridão é estarem a destruir o futuro por nós construído.

Escuridão é não poder garantir o futuro da nossa família.

Escuridão, esta, aterradora.

Por favor!

Iluminem a escuridão do ser humano.

Iluminem a minha escuridão!

Fortunata Fialho

capa-2953x2008 Inexperiência e coragem deram origem a esta primeira publicação. Disponível na Editora Bubok e na Amazon.

View original post

“Sentidos ao Vento (Momentos)”

Horizonte

Paro o carro e olho o horizonte.

Estou cansada e recosto-me no banco.

Fixo os olhos em tudo o que me cerca.

Os campos estão verdes, tudo parece renascer.

Parece que um pintor andou a brincar com Cores.

Cansado de tanto verde,

Pincelou-o aqui de amarelo,

Ali de lilás, acolá de vermelho,

Branco, roxo…

Brincou com os tons do próprio verde,

Acrescentou castanhos, cinzas,…

Criou a paisagem mais bela de que me lembro.

Olho para cima e só vejo azul.

Entretanto, como o pintor,

Começo a brincar com os azuis.

Acrescento algumas pinceladas brancas.

O céu torna-se mágico.

Nele posso ver tudo o que quiser.

Continuo a olhar e tento reter tudo.

Quando estiver triste

Vou recordar a paisagem,

 Vou sorrir de felicidade.

Fortunata Fialho

Sol. 🎀 “Sentidos ao Vento (Momentos)”

Raios de luz, plenos de alegria.

Tempo risonho, alegria nos corações.

Campos floridos.

Quadros naturais que o sol pinta de cores de

Sonho.

O sol brilha, cantam os pássaros,

Coaxam as rãs, brincam os animais…

Ai quem me dera deitar-me na erva,

Sonhar acordada,

Ler um bom livro,

Caminhar sem rumo,

Absorver os aromas e banhar-me de luz.

Sol, fonte de vida,

Luz dos meus olhos,

Renovador de corações,

Criador de romances,

Fonte de amores.

Sol … campo … praia … férias.

Fortunata Fialho

Horizonte.

Olho pela janela e aprecio a paisagem.

Campos ainda verdejantes,

Manchados de castanho.

Árvores de folha caduca despem as suas vestes.

O sol brilha tornando a paisagem luminosa.

Ao longe, o grande lago,

Parece um pequeno oceano!

Grande lençol de água que a vista não alcança.

Bandos de aves cruzam os ares.

Voam por todo o lado, pousando nas árvores.

Voam folhas levadas pelo vento.

Levam os nossos sonhos a outras gentes.

Os campos mudam a sua roupagem.

O horizonte é o mesmo,

A paisagem diferente.

Continuo a contemplar…

A minha imaginação transforma a paisagem,

Num sonho de amor e calma.

Sinto-me tranquila e feliz.

Fortunata Fialho

🎁🍬 Sexo 🍬🎁

escreversonhar

Sexo

Sonho, sensações,

Sentimentos, saberes,

Sentidos alerta,

Somar caricias,

Subtrair o mundo lá fora,

Ser um só,

Sentir.

Entrega total,

Enlevo, Entrelaçar,

Entrar no divino,

Êxtase,

Entregar e possuir.

Xaile de afetos,

Onde nos enrolamos.

Ode ao amor,

Ondas de ternura,

Olhos que falam de amor,

Oh! Doçura das doçuras!

Fortunata Fialho

ff2

View original post