😁 Quem sou eu?😉 “Simplesmente… Histórias”😊

Quem sou eu?

Quem consegue responder, com rigor, a uma pergunta destas?

Não sei.

Um dia sou uma pessoa alegre, crédula, romântica, otimista e feliz. No outro triste, taciturna, desconfiada e um pouco infeliz.

Atenção não sou bipolar nem sofro de qualquer distúrbio ou perturbação mental.

Poderão dizer que sou complicada, mas quem não é?

Não somos, no fundo, o espelho daquilo que nos rodeia?

Sofro quando alguém querido sofre, riu quando se riem. A tristeza torna-me infeliz e a alegria feliz.

Não é assim para todos nós?

Só um tolo consegue ser feliz a tempo inteiro. Não sou tola, simplesmente, sou humana.

Procuro obter alegria dos pequenos e bons momentos e aproveitar as coisas boas da vida. Amar incondicionalmente quem me ama e, por vezes, aqueles que dizem não me amar. Sim porque é difícil amar quem nos odeia.

Cuidado, sou orgulhosa e não esqueço facilmente a traição e o mal que me fazem. Não me pisem os calos pois eu reajo, não com violência e discussões mas sim com o desprezo.

Solitária e incondicionalmente romântica. Sonhadora e trabalhadora.

Por vezes tenho grandes momentos de silêncio em que não me apetece falar. Não estou, forçosamente, chateada com alguém ou alguma coisa, mas sim porque estou envolta nos mais diversos pensamentos.

Adoro conhecer aquilo que me rodeia. Atenção, não me interessa a vida alheia, a minha já me dá muito em que pensar.

Leitora assumida, como diz meu esposo, devoradora de livros. Ler proporciona-me felicidade, sonhos e viagens imaginárias. Quando leio sinto-me transportada a mundos diferentes, parece que esses mundos podem ser meus, mesmo que seja nos meus sonhos. A leitura envolve-me em magia. Lendo sou criança novamente, viajo no mundo da fantasia, vivo nos contos de fadas e, sobretudo, sonho acordada.

Um bom livro preenche a alma e acalma o coração.

Esta sou eu, com todos os defeitos e as qualidades de uma pessoa comum, no entanto eu sou… eu, única e real.

 

Fortunata Fialho

 

IMG_2820

Anúncios

👪👶 Memória da minha infância em: “Simplesmente… Histórias”👶👀

Durante a minha infância, na minha aldeia, morei numa casa em que três portas se alinhavam.

Porta do quintal, que dava para a cozinha, porta da cozinha para a sala de jantar e a porta da rua.

A iluminação era feita através de candeeiros a petróleo os quais tornavam o ambiente um pouco irreal e propicio a divagações na minha cabecinha de criança.

Durante o serão reuníamo-nos na cozinha e não havia o hábito de se fecharem as portas, hábito que ainda mantenho atualmente.

Os meus brinquedos estavam arrumados na parte inferior da mesa da cozinha, nada se podia estragar. Ali estavam seguros e longe das mãos que as podiam estragar. Sim porque eu estimava muito todos os meus brinquedos.

Como todas as crianças adorava brincar imitando os adultos.

O serão passava e as brincadeiras continuavam.

Passeava por toda a cozinha mas, tinha um grande problema, quando cruzava a porta da sala de jantar um vulto negro passava ao mesmo tempo.

Nos meus poucos aninhos eu não percebia e, para evitar a sua presença, corria para que ela não me alcançasse.

Sorte malvada, ela acompanhava-me sempre.

A correria continuava sempre que passava pela dita porta.

Só algum tempo mais tarde percebi que, este meu inimigo não era mais que a minha sombra.

O candeeiro projetava-me de uma forma tão especial que tornava assustadora e irreal a minha própria sombra. Coisas de crianças!

 

Fortunata Fialho

 

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

💐👼”Simplesmente… Histórias”👼💐

– Mãe socorro. Tanto medo! Que barulho assustador! Tantas luzes… não consigo ver… dói tanto…. Pega na minha mão. Quando te sinto tenho menos medo. Pega-me ao colo e abraça-me forte, diz que vai passar. Faz calar todo este barulho… diz que é um pesadelo… ajuda-me a acordar.  Mãe dói tanto… porque são os homens tão maus?

Sobrevivi, minha mãe deu a sua vida para me proteger. Abraçou-me e …meu Deus…o sangue foi mais dela do que meu. Sobrevivi mas… com ela morri um pouco também.

Olho para o meu filho e recordo tudo, o noticiário mostra o êxodo de tanta gente. Fogem de uma guerra, mais uma guerra ignóbil, tentam proteger os seus filhos. Muitos perdem a vida e nem sempre os filhos lhes sobrevivem. Olho o meu filho e prometo-lhe proteção. Será que posso cumprir? Tanto ódio e tanto terror! Será que não têm filhos também?

As imagens sucedem-se e ele dorme. Crianças afogadas e… o meu dorme profunda e serenamente. Pouso-lhe a mão na cabeça e acaricio os seus cabelos. No meu rosto as lágrimas fluem… como gostava de os proteger também.

Espreguiçou-se, vai acordar. Mudo de canal. Não necessita de ver tanto horror.

Olha para mim e sorri, salta da cama e pendura-se no meu pescoço.

– Estás triste papá? Olha vou buscar o sol para ti, ou preferes a lua. Ontem fiz um desenho dos três, tu eu e a mamã. Sabes escrevi uma história. Tu eras o rei e fazias fugir todos os maus, e davas doces aos bons. Éramos felizes e nunca ninguém chorava. Sabes eu chorei, cai e fiz um dodói, mas tu vieste e o dodói também fugiu, afinal ele era mau e não podia ficar. Sabes pai tu és o meu herói e contigo eu não tenho medo de nada.

 

Fortunata Fialho

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

😵 Homem.😖😓”Simplesmente… Histórias”😄

Homem: ser com uma inteligência superior, capaz de mudar o mundo.

Pena que essa capacidade nem sempre seja aproveitada da melhor forma. O homem protege, ama, ajuda, conserta… mas também mata, odeia, destrói, polui…

Quando, na escola, me ensinaram que o homem era o ser racional por excelência, não deveriam estar a falar a sério. Alguns são tão irracionais que até metem medo. Facilmente se deixam manipular ou manipulam conforme os interesses e ambições de cada um. Entre eles existem grandes manipuladores, sem escrúpulos, que usam o poder da palavra para mais facilmente conseguirem os seus, muito obscuros, fins. Aproveitam-se daqueles que muito facilmente se deixam convencer e manipular. Investem na deseducação dos povos pois, aperceberam-se de que quanto menos educação for fornecida mais eficaz é a manipulação das classes. A capacidade, pouco desenvolvida, de reflexão e de questionar facilita-lhes a vida. Que fácil é usar quem se encontra, de alguma forma, desprotegido!

Com grande facilidade criam Deuses e Demónios e, por incrível que pareça, conseguem convencer multidões de que são verdadeiros, que as suas doutrinas são incontestáveis, que são nossos donos e nós, tristes pecadores, só temos uma alternativa: Obedecer cegamente como ovelhas num rebanho. Imaginação não lhes falta, criatividade muito menos. Possuem grandes mentes pena não serem aproveitadas de forma construtiva. Coitados de todos os pobres de espírito que lhes caiem nas garras. Coitados de todos os que lhes cruzam os caminhos e esses somos todos nós.

Hoje está provado que a inteligência não é exclusivo do ser humano existem muitos animais capazes de resolver problemas e de evoluir.

Como podemos continuar a considerar-nos superiores quando os nossos comportamentos se têm revelado, tantas vezes, mais selvagens e irrefletidos do que os dos animais? Os outros animais matam mas, quase exclusivamente, para satisfazer as suas necessidades alimentares. O homem mata por desporto, por raiva e por dinheiro. É o único animal que desrespeita tudo e todos sem olhar a meios e sem qualquer constrangimento ou pudor.

Ser homem deveria ser: ser com capacidades superiores capaz de proteger o seu semelhante, todos os seres vivos, toda a natureza ou melhor todo o nosso mundo.

 

Fortunata Fialho

 

IMG_2820

💞👀 “Simplesmente… Histórias” 👀💞

Quero ser invisível, quero poder caminhar livre dos olhares indiscretos, da crítica das bocas do mundo e passear livremente. Quero conhecer todos os teus passos, as tuas rotinas, o teu mundo para melhor te poder amar. Não pretendo invadir a tua privacidade nem perturbar o teu mundo. Só quero tornar-me, sem que te apercebas, a tua sombra e proteger-te de toda a maldade do mundo. És o meu maior tesouro, a minha vida, todo o meu futuro, o meu maior amor. Não quero que por ti passe nenhuma das infelicidades do mundo. Desejo que mantenhas toda a tua inocência, a tua pureza e essa infinita confiança naquilo que te rodeia. Sendo invisível poderei afastar, do teu caminho, os teus inimigos e todos os obstáculos que te possam magoar. Invisível, poderei contemplar o teu sorriso, ouvir a tua voz, acariciar os teus cabelos como se fosse a leve brisa que percorre os campos. Sem que me notes ampararei as tuas quedas, limparei as tuas lágrimas e segredarei aos teus ouvidos as mais lindas histórias que já alguém contou. Criarei no teu pensamento os mais puros ideais e os mais ambiciosos sonhos. Invisível, posso acompanhar-te quando queres estar sozinho, proteger as tuas costas e ensinar-te a derrubar todos os obstáculos.
Quero ser o teu “Grilo Falante”, sussurrar-te ao ouvido e não deixar que a tua consciência deixe de se importar com as consequências do que fazes. Invisível ver-te crescer e enfrentar o mundo. Lutares pelo teu futuro trilhares os teus caminhos, construíres o teu futuro, saíres do ninho e voares. Quero ser invisível e percorrer todos os caminhos sem ter medo do que me cerca. Quero poder deitar-me na relva, noite escura, no meio daqueles descampados longe das cidades e contemplar as estrelas. Poder caminhar por todo o lado sem medo dos delinquentes nem dos assassinos. Sendo invisível posso roubar todas as armas e deitá-las no mais profundo dos oceanos… talvez assim consiga acabar com as guerras. Quero ser invisível e caminhar nua pelas ruas sem ter que me preocupar com o falso pudor e as falsas moralidades. Ser eu própria despida de preconceitos e complexos. Quero ser invisível, ocultar-me do teu olhar e amar-te só através dos sentidos, ouvir o teu prazer, sentir o teu toque, beijar o teu corpo, acariciar e sentir o teu desejo sem que possas evitar. Se não acreditares que sou real pensa que estás a ter o mais doce sonho que algum homem pode desejar. Quero ser invisível, não para dominar mas sim para amar…

 

Fortunata Fialho

 

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

🌱🍀Mais em: “Simplesmente… Histórias”🍀🌴

Quero ser uma nascente, surgir do nada e, de forma envergonhada, deslizar por entre as pedras. Docemente e de forma quase impercetível avançar, descobrir novos lugares e fazer novas descobertas. Encontrar novas amigas pelo caminho e, juntas, avançarmos. Juntas alargarmos e, sem que nos apercebamos, formarmos um regato. Agora estamos a dar de beber a tantas plantas e animais. Com a nossa ajuda nascem, crescem ondulando ao vento ou correndo por esses campos. O vento acaricia-nos e, o sol aquece-nos com os seus raios solares. O nosso suor evapora-se e sobe criando lindas nuvens brancas, parecem algodão doce. Garanto, aquelas escuras não foram nossas, devem ser obra de algum outro regato extremamente mal disposto. O nosso riso ecoa por entre os campos e soa como uma sinfonia de acordes celestiais. Rir é tão bom! Aqui e além surgem pessoas que nos beijam matando, assim, a sua sede. O nosso corpo é composto da mais pura, límpida e fresca água. Agora somos um pequeno rio e no nosso corpo surgem lindos peixes que dançam ao som do nosso riso. Como qualquer adolescente ansiamos por outros rios que nos completem e, aumentando a velocidade, continuamos à sua procura.
Por fim encontramos e num abraço transformamo-nos num delicado rio de águas cristalinas. Que bom é estar apaixonado e ser correspondido! Enquanto avançamos juntamos novos amores, novas conquistas e o nosso corpo aumenta. Agora somos um belo rio que anseia por chegar ao mar. Largo e lindo, nada nos pode parar. Sonhamos que somos o centro das atenções. No nosso seio moram tantos seres vivos, o nosso regaço pulula de vida. Já matámos tanta sede, irrigámos tantos campos, protege-mos tantas fontes de vida, demos tanto de nós a este céu. Agora percebemos que não existem regatos zangados, Existem sim, alguns mais calmos e acolhedores e outros mais traquinas e apreçados. Fomos agredidos e poluídos ao longo do caminho. Quem terão sido os responsáveis? Deviam ser punidos e reeducados. Felizmente também houve quem corresse a ajudar-nos e a limpar toda aquela porcaria e a purificar os nossos corpos. Avistamos o mar e os nossos braços alargam-se preparando-se para um grande e demorado abraço. No nosso abraço os nossos corpos unem-se e, engraçado, agora não sabemos se o nosso corpo é doce ou salgado. Somos acolhidos com tanto carinho que nos perdemos na infinidade deste mar tão sonhado. O nosso corpo torna-se salgado, majestoso e, capaz de carregar com o mundo. Somos um Golias grande e poderoso, usando as nossas ondas para expressar os nossos sentimentos. A nossa majestade revela-se nas nossas mudanças de humor. Somos fonte de vida mas também de morte. Somos criação e destruição. Somos tudo aquilo que desejámos mas também aquilo que temíamos. Não sei se estou feliz ou assustada, afinal eu só queria ser uma nascente… quanto muito um regato.

 

Fortunata Fialho

livros

😊Infelizmente o que muita mulher ainda pensa 😊”Simplesmente… Histórias” 😁Já nas livrarias😁

Como vou ser capaz? Nunca tal fiz. Não haverá pessoas bem mais capazes do que eu?

Bolas, cada vez que faço algo todos apontam defeitos. Sempre me deram a entender, e eu acredito porque é verdade, que sou um pouco lerda.

Estou sem ideias, não vou ser capaz. Burro velho não aprende linguagem e, eu já estou velha para isto. Com tanta gente inteligente logo me calhou a mim.

Quem manda, manda bem e eu toda a vida me limitei a obedecer. Nunca fui de mandar nos outros e, agora, resolvem que tenho que passar a dar ordens. Ninguém me vai obedecer, já se está mesmo a ver.

Acho que vou recusar, não tenho capacidade para este cargo. Poderia ganhar mais e seria mais fácil cá em casa mas, não vou conseguir, vou falhar de certeza.

Hoje tenho que dar uma resposta e não me consigo convencer de que sou capaz, só consigo pensar em aspetos negativos. Que medrosa sou! Nunca vou conseguir melhorar e progredir! Toda a vida tive dificuldade em enfrentar o desconhecido, bloqueio com medo e arrepio caminho.

Falei com a família e eles disseram que era demais para mim. Se eles, que me conhecem tão bem, estão com medo então não devo conseguir mesmo. Vou desistir.

Seria tão bom conseguir, ficaria tão feliz se deixa-se de me considerar tão lerda. Alem disso um dinheirinho a mais seria tão bom. Poderia comprar aqueles sapatos que tanto namoro.

Quem quero enganar? Vou falhar de certeza. Nunca consegui levar nada até ao fim.

Toda a vida tomaram decisões por mim, nunca tive que decidir nada… nunca me deixaram decidir coisa alguma pois o meu poder de decisão é muito pequeno. Sempre assim foi.

Está decidido, não vou aceitar… tenho tanto medo de falhar… será que não sou mesmo capaz?

 

Fortunata Fialho

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

😢Hoje estou tão triste…💔 “Simplesmente… Histórias” 💙😁

Hoje estou triste, amanhã prometo acordar feliz.

Hoje o meu coração chora, o sentimento de perda é avassalador.

Amanhã vou acordar e dizer, para mim mesma, aproveita e sê feliz.

Hoje o céu está cinzento, a chuva cai e o vento assobia.

Amanhã quero sol e luz.

Hoje sou a mais insignificante das criaturas.

Amanhã serei a mais realizada das mulheres.

Hoje olho o infinito, amanhã o infinito, serei eu.

Hoje observo a penumbra, amanhã contemplarei o sol e as estrelas.

Hoje sou a sombra, amanhã serei luz.

Hoje tudo em meu redor é feio e desolador.

Amanhã só irradiará beleza e cor.

Hoje o mundo está em guerra, amanhã tudo será paz e harmonia.

Hoje estou assustada, amanhã serei a personalização da coragem.

Hoje sou insignificante, amanhã serei musa de inspirações.

Hoje durmo, amanhã, ao acordar, estarei viva e feliz.

Hoje … não faz mal, amanhã … tudo se resolve.

 

Fortunata Fialho

IMG_2820

 

😇🎀 “Simplesmente… Histórias” 🎀😇

Disseram-lhes que nunca ninguém consegue desaparecer sem deixar rasto e eles riram-se. Para eles o impossível era impossível e os limites inexistentes. O seu mundo era muito seu, o mundo dos outros não lhes dizia nada. A opinião dos outros valia pelo que valia. Eram um caso raro, um caso à parte.

Tinham-se conhecido há algum tempo e o mundo mudou, passou a ser eles. Todos os dias eram dias de amar, todas as horas eram horas de amor. Quando se amavam a realidade, envergonhada, desaparecia.

Todas as vezes que se amavam iam mais além, os seus corpos eram um só, os toques eram pura energia, pura ternura, a sua pele fundia-se e os sentidos eram deuses. As palavras eram ditas, não pela boca mas sim pela pele. As promessas de amor eterno eram murmuradas no som de um toque, no murmúrio de um abraço. Os seus êxtases eram sublimes e os orgasmos divinais.

Nos seus dias tudo era supérfluo, os únicos momentos mesmo importantes eram aqueles que partilhavam. Viviam para os reencontros e amavam-se com a ternura da primeira vez e o desespero da eminência de ser a última.

Um dia, depois de todo o tempo desperdiçado nos empregos, reencontraram-se. Já trocavam beijos e carícias antes de fecharem à porta, as roupas deslizavam por magia e os corpos estremeciam de desejo. Amaram-se na procura do prazer absoluto e, a cada toque, o amor aumentava envolto em prazer. O êxtase era o seu mundo, o mundo era os seus suspiros as suas carícias, os seus orgasmos. O prazer não os cansava e os corpos pediam mais e mais. Continuaram e, cada toque era mais intenso que o anterior, cada caricia ainda mais plena, cada beijo mais delicioso, cada orgasmo mais sublime. Finalmente… na plenitude do êxtase tornaram-se incorpóreos… divinizaram-se.

 

Fortunata Fialho

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

“Simplesmente… Histórias”

O sol brilha, uma deliciosa brisa percorre os campos. Saio e procuro descontrair.

Deitada na relva observo o voo dos pássaros. Que bom seria voar!

Graciosamente interpretam um inebriante bailado … que doce encanto para os meus sentidos.

Contemplando tal beleza adormeço … ou não … talvez esteja acordada e não saiba.

Envolta em raios solares sonho … sonho que voo e as minhas asas cortam o vento.

O calor reconfortante dos raios solares acariciam a minha pele e … danço.

Participo no inebriante bailado e deixo-me levar ao sabor do vento.

Hum … que delicia. Que plenitude de sensações, que doce encantamento.

Entre chilreios as minhas asas movem-se, sou a estrela entre as estrelas.

 

Uma nuvem cobre o sol … desce sobre mim. Engraçado … que bela nuvem!

A sua presença acaricia, acalma e reconforta. Nela tudo é brilho e luz.

No meu corpo, seminu, sinto uma onda de prazer, deliciosos lábios tocam-no levemente.

A suavidade da seda cobre-me toda a pele, um calor húmido percorre-me.

Envolta em prazer elevo-me aos céus, flutuo nas asas de Cupido e subo ao Olimpo.

Hum … como é possível tal prazer? O meu corpo estremece, imperam os sentidos.

Em mim não cabe mais prazer e o meu corpo explode numa onda de êxtase.

Lentamente desço ao meu relvado e uma doce tranquilidade envolve-me.

Obrigado amor, senti, voei … perdi toda a noção de mim.

Não preciso de asas … voei. Contigo aprendi que o sonho é realidade.

Vivo intensamente, sinto intensamente, sonho acordada, sonho contigo …

Agora entendo quando alguém diz: ’’… e nenhuma pele está impedida de voar’’.

 

Fortunata Fialho

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)