😉Contra capa de “Simplesmente… Histórias”

escreversonhar

Leitora assumida, como diz meu esposo, devoradora de livros. Escrever e ler proporciona-me felicidade, sonhos e viagens imaginárias. Quando escrevo ou leio sinto-me transportada a mundos diferentes, parece que esses mundos podem ser meus, mesmo que seja somente nos meus sonhos. A escrita e a leitura envolvem-me em magia. Com elas sou criança novamente, viajo no mundo da fantasia, vivo nos contos de fadas e, sobretudo, sonho acordada.

Um bom livro preenche a alma e acalma o coração.

Esta sou eu, com todos os defeitos e as qualidades de uma pessoa comum, no entanto eu sou… eu, única e real.

Fortunata Fialho

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

View original post

🎁”Simplesmente… Histórias”🎁

escreversonhar

Depois de alguns “Sentidos ao vento” seguem-se algumas “Simplesmente… Histórias”.

O ditado popular: “Quem conta um conto acrescenta um ponto”, talvez seja verdade. Assim eu resolvi brincar com as palavras, tentando não acrescentar pontos.

No nosso dia-a-dia surgem-nos algumas situações que dariam para guardar e contar aos netos. São algumas dessas situações que eu procuro descrever por palavras. Espero que assim sejam recordadas para sempre.

Ao mesmo tempo, por vezes apetece sonhar, refletir e brincar com essas mesmas palavras, e porque não partilha-los? Cabe a vocês tentar distingui-las, afinal é importante manter algum mistério.

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

View original post

🗾Quero🗾😉”Simplesmente… Histórias”😉

Quero … quero tanta coisa que nem eu própria sei o que quero.

 

Quero voar como uma borboleta, pairar como uma sementinha, sentir o doce toque do vento.

Quero viajar no tempo, mudar o curso deste rio, reflorestar o planeta…

Quero nascer de novo, emendar meus erros ou, quem sabe, cometê-los de novo.

Quero ser eterna ou morrer num momento de grande felicidade.

 

Quero entrar no teu pensamento, sentir o que tu sentes e dar-te tudo o que desejas.

Quero ser o teu maior amor, a tua maior felicidade a tua razão de viver.

Quero fazer amor contigo, subirmos aos céus, perder a noção dos corpos e só sentir.

Quero beber dos teus lábios, alimentar-me do teu amor e esquecer o mundo.

 

Quero acordar com o riso dos nossos filhos, a sua alegria inocente e o brilho do seu olhar.

Quero que, para sempre, sejam felizes, que nunca chorem e que só tenham razões para amar.

 

Quero acabar com a guerra. Quero que todo o ser humano só saiba amar.

Quero transformar todo o ódio em flores e as balas em doces manjares.

Quero que dos canhões saiam salvas, das metralhadoras rosas, que as espadas só cortem espinhos…

 

Quero ser luz e cor, doçura e ternura, paz e amor. Viver intensamente e sonhar.

Quero ser a princesa de um conto de fadas e viver num mundo de encantar.

Quero ser ideia, ser sonho, ser criação e ser renovação. Não quero ser ilusão.

Quero ser alma, quero ser desejo, quero ser começo… quero ser fim.

 

Quero… a todo o instante quero… não sei bem o quê… mas quero.

 

Fortunata Fialho

 

livros

💐”Simplesmente… Histórias”💐…ser poeta é.💐

Esperámos tanto tempo e finalmente estamos juntos, nada nos pode separar.

Pegas-me na mão, todo o meu corpo treme e as pernas fraquejam.

Acaricias-me o rosto e sinto o paraíso na minha pele. Doce sensação!

Os teus lábios tocam a minha testa, o meu rosto sobe e a tua boca desliza.

Saboreio os teus lábios e acaricio a tua língua… não sei quem sou.

Abraças-me… aperto o meu corpo contra o teu e escondo o rosto no teu peito.

Quero que o tempo pare, quero os nossos corpos um só… inseparáveis.

Perco-me nos teus olhos e não sei se rio ou se choro… simplesmente sou feliz.

O meu corpo arde de prazer, de desejo… deixa-se incendiar pelo teu.

Sinto o doce calor da tua respiração e ouço o, cadenciado, bater do teu coração.

Aos meus ouvidos ele murmura… teu… teu… tu… tu… só tu… nós.

Abraçados caminhamos como dois adolescentes apaixonados.

Movemo-nos como um só, em silêncio, contemplamos o brilho das estrelas…

Que delicia o calor do teu corpo… do teu abraço! Não me largues nunca.

Chegámos. As roupas deslizam, lentamente, dos nossos corpos.

Pele com pele… uma pele só. Amor imenso… sonho tornado real.

Amor, muito amor. Alma e corpos unos, plenos, intensos… nós.

Terno poema escrito por entre carícias, versos de amor sentidos, não escritos.

Vida poesia… poema vivido. Agora sim, agora eu sinto o que ser poeta é.

 

Fortunata Fialho

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

😊Ser poeta. 😊💎”Simplesmente…Histórias”💎😊

Ser poeta é escrever com a alma, desejar o infinito e amar incondicionalmente.

Nas asas da imaginação colocar o mais profundo do seu sentimento e voar.

Vencer todas as amarras, voar nas asas de um momento e nunca deixar de sonhar.

Acreditar que a vida é encantadora e o amor… ai o amor… o melhor de tudo.

Não sei se sou poeta, só sei que adoro sonhar, transpor os limites físicos, acreditar…

Deixar que a minha alma se mantenha inocente e acreditar que os sonhos são reais.

Perder-me na beleza e eliminar toda a tristeza, viver a ilusão e manter a pureza.

Aqui, nestas linhas que escrevo, perco-me num mundo sem fronteiras e sonho…

Sonho que sou maior que o mundo, sonho que o meu poder é imenso.

Quero mudar tudo, quero abolir a dor e torná-la pura felicidade e… viva o amor.

Quero construir um mundo perfeito… nem que seja só nas asas das palavras.

Ser poeta é lutar, empunhar a palavra e mudar sentimentos feios… torná-los belos.

Que bom é escrever e deixar que as palavras fluam numa cascata de frases.

Cascata, de beleza impar, que mergulha num lago de textos, do qual evapora puro amor.

Que bom é escrever sem rumo e deixar que o coração fale mais alto que tudo.

Deixar que surja pura paixão, pura beleza, pura alegria neste fundo branco.

Ser poeta é, ser poema em si, é ser eterno através de simples palavras.

É chegar ao coração de quem lê. É fazer de quem lê poeta, também.

Ser poeta é… não sei. Só sei que escrever é… deliciosamente maravilhoso.

 

Fortunata Fialho

 

estudo_capa_completa_simplesmente-historias-2

💐✴”Simplesmente… Histórias”✴💐

Disseram-lhes que nunca ninguém consegue desaparecer sem deixar rasto e eles riram-se. Para eles o impossível era impossível e os limites inexistentes. O seu mundo era muito seu, o mundo dos outros não lhes dizia nada. A opinião dos outros valia pelo que valia. Eram um caso raro, um caso à parte.

Tinham-se conhecido há algum tempo e o mundo mudou, passou a ser eles. Todos os dias eram dias de amar, todas as horas eram horas de amor. Quando se amavam a realidade, envergonhada, desaparecia.

Todas as vezes que se amavam iam mais além, os seus corpos eram um só, os toques eram pura energia, pura ternura, a sua pele fundia-se e os sentidos eram deuses. As palavras eram ditas, não pela boca mas sim pela pele. As promessas de amor eterno eram murmuradas no som de um toque, no murmúrio de um abraço. Os seus êxtases eram sublimes e os orgasmos divinais.

Nos seus dias tudo era supérfluo, os únicos momentos mesmo importantes eram aqueles que partilhavam. Viviam para os reencontros e amavam-se com a ternura da primeira vez e o desespero da eminência de ser a última.

Um dia, depois de todo o tempo desperdiçado nos empregos, reencontraram-se. Já trocavam beijos e carícias antes de fecharem à porta, as roupas deslizavam por magia e os corpos estremeciam de desejo. Amaram-se na procura do prazer absoluto e, a cada toque, o amor aumentava envolto em prazer. O êxtase era o seu mundo, o mundo era os seus suspiros as suas carícias, os seus orgasmos. O prazer não os cansava e os corpos pediam mais e mais. Continuaram e, cada toque era mais intenso que o anterior, cada carícia ainda mais plena, cada beijo mais delicioso, cada orgasmo mais sublime. Finalmente… na plenitude do êxtase tornaram-se incorpóreos… divinizaram-se.

 

Fortunata Fialho

 

IMG_2820

Quero. 🎇💐😍”Simplesmente… Histórias”😍💐🎇

Quero, quero tanto, recuperar a inocência de criança, os sonhos da meninice.

Olhar em redor e descobrir um mundo maravilhoso num papel de rebuçado.

Procurar fadas e príncipes, castelos e bosques, numa simples caixa de papel.

Dormir embalada por uma história, sonhar sem limites, fazer traquinices.

Quero acordar de manhã, correr para os braços de minha mãe, dar-lhe um abraço apertado.

Quero sentar-me no colo do meu pai, cavalgar no cavalinho do seu joelho, e voar.

Quero viver sem dor, recuperar todos os que amo e sonhar… sonhar.

Quero esquecer esta dor que dilacera o meu peito, sarar minha alma.

Ai como desejo esquecer esse dia em que deixaste de respirar.

Hoje sonhei contigo, minha mãe, riamos e não me lembro de quê.

Rirmos juntas foi tão bom… rir de felicidade… rir de verdade.

Sim ri, e em casa todos ouviram e riram também. Rimos… que bom!

Quero rir sempre assim, hoje… amanhã… sempre… rir, sim só rir…

Quero secar meus olhos, fechar esta cascata, triste e sombria.

Tenho que sorrir, deixar o sol entrar, secar estas lágrimas de sangue.

Quero ser feliz, quero acalmar minha dor, quero… ser feliz.

Meu Deus como quero, como tento… já consigo rir por entre as lágrimas.

Como seria bem mais fácil se pudesse ser novamente criança.

 

Fortunata Fialho

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Vertigem.😉💐”Simplesmente… Histórias”💐😉

Vertigem é aquilo que sinto quando olho no fundo da tua alma. No doce mel do teu olhar perco-me e caio no abismo. Doce abismo onde me perco e, perdendo-me, me encontro. Vertigem louca em que me afundo.

Não sei como chegaste, nunca me avisaram do quanto eras perigoso, só sei que já não consigo viver sem ti. Quando não estás sinto-me perdida, incompleta e, pior ainda, vazia. Ladrão do meu mundo… entraste… e eu perdi-me. Nunca mais consegui encontrar aquela pessoa que outrora fui. Quem sou eu afinal? Doce reflexo de um amor pleno, intenso, verdadeiro… incomensurável… sim, sou eu.

O meu dia começa quando a noite cai e me enrolo nos teus braços, a minha noite inicia quando te vais. Já não sei medir o tempo, quando não estás o tempo não conta, só a tua presença me consola e me aconchega. Todo o tempo é pouco para partilhar contigo e sim, só este tempo importa.

Quero amar-te sem limites, sentir que somos um só, provar o teu corpo, possuir e deixar-me possuir sem preconceitos ou tabus. Quero cair nos teus braços e dizer o quanto te amo por palavras, gestos, caricias, silêncios… Amar-te e amares-me envoltos em puro prazer. Quero morrer de amor todos os dias, todo o instante e em seguida ressuscitar para morrer de prazer novamente.

Como é possível amar assim? Como é possível amar até os nossos maiores defeitos? Amor incondicional e incandescente onde nos queimamos sem dor, sem medo e… nos perdemos. O meu mundo és tu e o teu sou eu, somos um mundo só nosso onde imperam os sentidos e, sobretudo, o amor autêntico, puro e cego como só o amor sabe ser.

Doce ternura, doce sentir, doce amor… doce vertigem.

 

Fortunata Fialho.

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

 

 

😇😍😉Aconteceu-me mesmo. Mais uma das: “Simplesmente… Histórias”😉😍😇

Durante a minha infância, na minha aldeia, morei numa casa em que três portas se alinhavam.

Porta do quintal, que dava para a cozinha, porta da cozinha para a sala de jantar e a porta da rua.

A iluminação era feita através de candeeiros a petróleo os quais tornavam o ambiente um pouco irreal e propicio a divagações na minha cabecinha de criança.

Durante o serão reuníamo-nos na cozinha e não havia o hábito de se fecharem as portas, hábito que ainda mantenho atualmente.

Os meus brinquedos estavam arrumados na parte inferior da mesa da cozinha, nada se podia estragar. Ali estavam seguros e longe das mãos que as podiam estragar. Sim porque eu estimava muito todos os meus brinquedos.

Como todas as crianças adorava brincar imitando os adultos.

O serão passava e as brincadeiras continuavam.

Passeava por toda a cozinha mas, tinha um grande problema, quando cruzava a porta da sala de jantar um vulto negro passava ao mesmo tempo.

Nos meus poucos aninhos eu não percebia e, para evitar a sua presença, corria para que ela não me alcançasse.

Sorte malvada, ela acompanhava-me sempre.

A correria continuava sempre que passava pela dita porta.

Só algum tempo mais tarde percebi que, este meu inimigo não era mais que a minha sombra.

O candeeiro projetava-me de uma forma tão especial que tornava assustadora e irreal a minha própria sombra. Coisas de crianças!

 

Fortunata Fialho

estudo_capa_completa_simplesmente historias (2)

😜😉”Simplesmente… Histórias”😉😜

Sentei-me ao computador com uma enorme vontade de escrever. Surpresa! Perdi a inspiração.

E agora? Que faço com esta vontade?

Olho em volta e nada me inspira.

Que monotonia está tudo na mesma.

Olho pela janela e o sol brilha. Há tanto tempo que andava desaparecido. Percorro o espaço exterior com os olhos.

Vejo lindas flores nos meus canteiros, todos os dias aparecem mais algumas.

O meu quintal resplandece de cor e de alegria. Os pássaros chilreiam nas árvores. Não consigo descobrir nenhum ninho, talvez ainda seja cedo.

Vistosas joaninhas passeiam-se sobre as flores comendo o piolho das plantas. Uma borboleta esvoaça em redor da minha janela. Deve de estar a exibir o seu belo colorido, e que colorido! Recuso-me a pensar que anda a depositar os seus ovos nas minhas plantas. As lagartas vão banquetear-se e eu vou ficar muito aborrecida.

No canil as cadelinhas estão estendidas a apanhar todo o sol que podem, nem me ligam. Eu bem me esforço mas elas ignoram-me.

Tantas abelhas no meu quintal! Será que não me vão picar? Talvez deva ter cuidado e deixá-las andar à vontade.

Levanto o olhar e surge um céu tão azul que encandeia. Nenhuma nuvem o mancha.

De vez em quando, passam alguns pássaros voando e chilreando.

Contínuo sem inspiração. Não sei por onde começar. Talvez seja melhor desistir, fechar o computador e esperar por melhor ocasião.

Vou esperar pela minha inspiração. Talvez ela se digne voltar.

Se voltar posso escrever mais uma história daquelas que tanto gosto tenho em contar.

 

Fortunata Fialho

estudo_capa_completa_simplesmente-historias-2